11 de agosto de 2008

Pai herói?

Cadê o herói, cadê o abraço, cadê meu herói?
Cadê o alicerce, cadê o carinho, cadê o cuidado, cadê?
A palavra que nem sempre quer ser recebida, mas precisa ser escutada.
O abraço que vem quando mais é carecido, que vitaliza,
dá forças e vontade de liberar todas dores presas a nós.
O beijo que vem abençoado.
O carinho que não tem explicação, acalmando a alma,
protegendo como se nada mais pudesse te derrubar.

Vontade de abraçar o herói.
Contudo, complicado amar e fazer-se entender.
Além de não te compreender,
parece que esquece que você o ama com todas as forças
e que daria a vida por ele.

Mas pelo meu herói eu dou a vida, sem pensar duas vezes,
ele que tantas vezes cuidou da minha vida para que eu fosse mais feliz.
Alguém que tanto me machucou, mas que tanto já demonstrou amor.
Esse é o homem que eu amo tanto.
Mesmo que às vezes não ache mais o herói...

Vou espiar o pai, está sentado na sala
Há só ele, uma pessoa normal...
cheia de fraquezas como qualquer outra.